Foi hoje.

Estive com você agora à tarde e fui embora no começo da noite ignorando o que meu coração dizia: FICA!!!
Não fiquei.
Você partiu.
É, eu sou assim, sempre negligencio a força do meu próprio coração. Eu queria ter ficado do seu lado, segurando a sua mão.
E agora à noite eu abracei a minha irmã, que soluçava. E quando a abracei, me lembrei do aniversário dela de 3 anos. Foi lá na rua das nossas avós e na foto em que ela estava apagando as velinhas, era você que estava ao lado dela e não eu. Você a estava ajudando com as velas, como uma irmãzinha mais velha faz. Essa foto nunca saiu da minha memória. Você era carinhosa, com ela (e com seu irmãozinho também). E o meu coração se manteve forte até aquele momento em que eu vi a minha irmã chorar. A gente sentou ali uma do lado da outra e choramos juntas; e quando isso aconteceu eu vi ali aquelas duas meninas da Rua dos Timoneiros, que brincavam com a Cacá todos os domingos. Ela, eu. A Chintia. O Rafael. O Denis. E você. Quando a gente chora a partida de uma amiga, de uma irmã, de uma prima querida do coração, é o nosso coração de criança que chora.
Ainda bem que você não escutou nenhuma das perguntas que a gente vive se fazendo todos estes anos. Ainda bem que você passou a sua vida só tendo aprendido a amar e a lutar, POR AMOR, por aqueles que você ama. Deus e o tempo são grandes demais pra gente tentar carregar, questionar, entender. Você nunca questionou. Você só entendeu, aceitou e viveu com amor e dignidade o que o tempo te ofereceu.
Amou e perdoou.
Amou e ensinou.
Amou e acolheu.
Amou e lutou.
Tenho passado por uma queda de braço com O Cara Lá de Cima. Vai pelo jeito durar mais alguns anos até eu entender a razão das coisas, até eu encontrar alguma explicação pra tudo o que eu venho questionando todos estes anos. Ou até eu parar de perguntar! E é engraçado como mesmo fazendo essa queda de braço com Deus, o nome D´Ele foi a última coisa que eu falei pra você no seu ouvido: “confie em Deus”.
Não posso te ajudar com respostas. Não posso te ajudar com um texto lindíssimo, como este deveria ser. Posso te ajudar mudando o meu olhar sobre a vida: passando a enxergar o copo meio cheio e não meio vazio.
O seu, Camila, esteve sempre transbordando.
(Descanse em paz).


Quando Deus passou por aqui e chupou uma manga comigo
Arritmia
Histórias Comente
Um pedido para quem eu confio
Textos da Mel Comente
Página 1 de 26
12345... 26
voltar ao topo