Silhouette Photo of Man and Woman Kissing

Foto: Hoang Loc, Pexels

Se eu não fingisse, faria cada desejo meu se materializar, aqui e agora. Você apareceria do meu lado, inteirinho. De todas as amarras que a gente passa, a pior delas é ter que engolir a seco uma vontade. O tanto que é ruim quando você passa e eu tenho que olhar para o outro lado, baixar o rosto, fingir que estou muitíssimo concentrada em alguma coisa que esteja fazendo. O tanto que é ruim ficar alguns metros longe, quando podiam ser apenas alguns centímetros – o que separasse os meus olhos dos seus. O tanto de ruim que é esbarrar neles e não poder ficar ali por mais algum tempo, sem nenhuma pressa e sem precisar dizer nada (como até agora não foi necessário). O tanto de ruim que é ter que falar de outros assuntos e não podermos falar sobre as melhores balinhas pra depois do café. Os melhores cafés. Ou qualquer outro assunto que te mantenha olhando pra mim. Ou, quem sabe, nenhum assunto, que às vezes o silêncio é mais barulhento que qualquer palavra que se diga.

Se eu não fingisse esbarraria a pontinha do meu nariz no seu e morderia as suas covinhas, e as suas bochechas e os pelinhos do seu cavanhaque.

Se eu pudesse, desenharia um coraçãozinho bobinho e sincero no teu papel de rabiscos, só pra não ser tão óbvia e escrever logo tudo o que provavelmente você já sacou, caso não tenha nascido ontem. Se eu pudesse chegaria bem pertinho do seu pescoço pra adivinhar o perfume que você está usando. Ou, correria de leve os meus dedos nos seus, só pra você saber onde exatamente eu queria estar ali e agora e com quem.

Se eu pudesse, meu bem, esbarraria contigo no corredor do banheiro – e com o meu olhar mais sorrateiro, eu sequestraria sua alma pra junto da minha, não te deixando outra saída que não vir atrás de mim, hipnotizado (funciona). E colocaria minhas mãos por dentro do seu casaco, que já não estaria mais ali uns dois minutos depois. Se eu pudesse derrubaria meus suspiros e gemidos dentro dos seus lábios, grudaria o seu corpo no meu como um imã, uma força magnética.

Se eu não fingisse, seria irresponsável, e egoísta, e inconsequente (e insaciável). E te daria um beijo inacreditável, inesquecível, incendiado… que manteria seus olhos fechados e o seu pensamento esquecido… E quando você estivesse completamente rendido, eu cantaria os meus segredos dentro do seu ouvido, tarde tarde da noite.


Arrumados para a Missa
Exercícios Comente
Duas lições sobre o amor
Textos da Mel Comente
C´afeto
Exercícios Comente
Página 1 de 22
12345... 22
voltar ao topo