Eu não costumo escrever as coisas mais íntimas aqui no blog, uso um caderninho pra isso. Mas desta vez eu vou escrever, porque estes pensamentos podem ajudar alguma outra mulher (em especial). Hoje passei a tarde praticamente inteira, deitada. Fiquei me perguntando o sentido da minha vida: Deus deve ter me criado para uma finalidade… mas até agora as coisas têm dado tudo errado! O casamento que não deu certo, a maternidade que eu queria e não consegui, o apartamento que eu precisei vender, o divórcio que eu jamais desejei pra minha vida, os planos que não deram certo e as consequências disso tudo na minha personalidade. A gente fica acreditando, mesmo, que não tem valor algum. Esse tipo de pensamento é reforçado quando você precisa dos seus amigos e eles te dão as costas. Quando você envia um e-mail saudoso para alguém e não recebe retorno. As circunstâncias da vida acabam por moldar dentro da nossa personalidade esta sensação de que somos nada, que somos lixo e que não temos nenhum valor.

Aí, o próximo passo para a auto-sabotagem (algo de que você se torna especialista) é se comparar às outras pessoas. As outras pessoas estão sempre rodeadas de amigos, o casamento das outras mulheres deu certo, elas tiveram filhos, você não. É o tipo de coisa que vai te empurrar ainda mais para o buraco.

Bem, eu vou tentar compartilhar os gatilhos do bem que eu tenho usado para driblar estes pensamentos:

  • Eu coloquei uma frase no meu mural de inspirações que tenho no quarto. De vez em quando troco as imagens e a paleta de cores do mural, mas a frase está lá: seja você a sua melhor amiga. Se as pessoas não te dão a atenção que você precisa, tente sinalizar que precisa de ajuda (às vezes somos orgulhosas e esperamos que os outros notem nossa fragilidade, mas a verdade é que a correria e as responsabilidades de cada um, no dia-a-dia, desviam sua atenção pra outras coisas). Se nada der certo e você estiver cercado de pessoas egoístas ou gente pela qual tem nutrido mais afeto por eles do que eles por você, é hora de recomeçar do zero e construir uma nova rede de amizades com pessoas que tenham os mesmos interesses e vibes que você. A verdade é que se a gente não for nossa melhor amiga, se a gente não se olhar com afeto, com respeito, com cuidado, ninguém vai fazer isso, ou seja: não dá pra esperar que os outros façam aquilo que é nossa obrigação fazer por nós mesmas.
  • Eu me dei conta de que um dos erros que cometi no passado foi ter colocado um sonho que era meu nas mãos de outra pessoa. Fiquei esperando a boa vontade do rapaz em ser pai e adiando o MEU sonho. Hoje ele (que era um ano e meio mais jovem que eu) pode ter quantos filhos ele quiser, mas eu, que tenho 40 anos, provavelmente não terei nenhum. Pelo amor de Deus, moça, não deixe que seus sonhos dependam de outra pessoa. A palavra final é sempre sua, ele só depende de você querer (e arcar com as consequências do que fizer neste sentido) e não dos outros. Eu volto meu olhar sobre isso com resignação e leveza, sem rancor, sem mágoa, mas com total clareza do absurdo que foi eu deixar que ele decidisse o tempo de realizar um sonho que era MEU.
  • Cuide das suas endorfinas. Faça o que for necessário: vá caminhar, tomar um café com alguém que você curte, passear com o cachorro, ir à feira, fazer um prato, ficar com seu avô, cuidar das plantas, enfim… faça aquilo que te deixa feliz. Quando estamos mais deprimidas é muito importante manter a produção de endorfinas em ordem. Isso salva o dia, muitas vezes.
  • Você não precisa ter uma religião, mas cultive a espiritualidade e esteja em paz com você mesma. Descubra técnicas para cultivar o seu bem-estar. Meditação, por exemplo, orações (há diversas), qualquer coisa que te conecte com a divindade ou com o que você acredita (sobretudo com você mesma).
  • Tenha noção de que NADA É DEFINITIVO. Tudo está em constante mudança. O que quer que esteja acontecendo com a sua vida, não é definitivo. Do mesmo jeito que deu merda, vai um dia ficar tudo incrível também, porque este rio está sempre em movimento (leia Heráclito), não é uma sentença definitiva que diria assim: Melissa, você vai ser sempre sozinha. De um minuto pra outro tudo pode mudar. Apenas cuide de você e do seu pensamento – pense POSITIVO. O universo cuida do resto!
  • A ansiedade é a arte maléfica de querer andar em quinta marcha, quando você só pode andar em segunda. Só nos faz mal. Há um tempo para tudo e muitas vezes aquilo que você quer que aconteça não está acontecendo NESTE MOMENTO, simplesmente porque AGORA NÃO É O MOMENTO CERTO.
  • Tenha clareza de que VOCÊ NAO DEPENDE DE NINGUÉM PARA ESTAR FELIZ. Você não depende de alguém para fazer as coisas que gosta de fazer, muito menos para se tornar a pessoa que você quer se tornar. Este é um diagnóstico muito importante para avaliar seu grau de independência e até maturidade: se você deixa de fazer as coisas que tem vontade de fazer, ir em lugares que gostaria de ir, pelo fato de estar sozinha ou sei lá mais o quê, é mal sinal: significa que ainda é dependente emocionalmente de outra pessoa e é justamente isso que não pode acontecer.
  • Ocupe a cabeça. Ocupe sua mente. Mantenha-se ocupada. A mente vazia é o laboratório do diabo, já dizia minha avó e nós sabemos o quanto ela tem razão.

No final das contas, o remédio para nossos períodos ruins está dentro de nós mesmas. Nós podemos pedir ajuda, procurar médicos, psicólogos, psiquiatras, amigos, padres, enfim… mas se dentro de nós não houver clareza de que nossa felicidade só depende da gente e de mais ninguém, nenhum tratamento dará certo, ele só será paliativo. Você vai tampar a ferida, mas ela vai continuar lá. Na prática, tudo, tudo mesmo, só depende de você e DO MODO COMO VOCÊ ENXERGA AS COISAS, e de mais ninguém.

Anterior Posterior

Deixe o seu recado!

voltar ao topo