Gisele, uma antiga vizinha e amiga, fez uma cirurgia bariátrica no ano passado por causa de um problema de saúde que a impedia de emagrecer. Eu acompanhei seus esforços, ao contrário de mim e muita gente, ela sempre foi super regrada na alimentação e fazia atividade física, mas tinha um problema de saúde que fazia com que ela não perdesse peso, só ganhasse. O médico sugeriu a bariátrica e ela topou na hora. Passado um ano, ela me procurou para fazer as fotos (e quão lisonjeada eu fiquei quando ela disse que não faria o ensaio com outra pessoa, porque só se sentiria a vontade comigo ♥).

Sempre admirei Gisele por conta da sua personalidade fortíssima e sua originalidade, além das afinidades literárias e musicais que nós temos (ambas amamos a literatura brasileira, ambas amamos MPB e em especial, Elis Regina e Ney Matogrosso). Nós nunca sabemos se uma pessoa que conhecemos nos diz exatamente tudo o que pensa sobre nós e para nós. Ou se vai dizer para outra pessoa, quando viramos as costas. Gisele não é assim. Ela diz o que pensa e diz tudo. Nos grupos de discussão do condomínio em que eu morava isso ficava bem claro (ahahahahahaha).

Depois de várias conversas, como sempre faço, passei a procurar um lugar exclusivo para fazer as fotos da Gi. Eu queria que fosse um lugar que tivesse sintonia com ela, um lugar com a cultura latente e uma história especial – e ligada à docência, já que ela é professora. De todos os lugares que tentei, só a Oficinal Cultural Oswald de Andrade me autorizou. Então eu passei a pensar numa paleta de cores (como sempre faço) e em metáforas para o ensaio dela. Como Gisele ama MPB e é esquerda até embaixo d´água, pensei em alguém ligada à música. Por causa da atitude, escolhi a Twiggy. Mas a ideia não era reproduzir a Twiggy na Gisele. Eu queria só a inspiração.

Pensamos em olhares marcados e vestuário com toque masculino (a camisa e a gravatinha preta). Roupas inspiradas nos anos 60 com tons suaves e – para contrastar com as paredes claras – um belo vestido preto.

Só que quando a gente chegou na Oficina, encontrei referências à Pagu no fundo do lugar – e foi perfeito!!! Quem melhor que a Pagu para espelhar a personalidade vanguardista, ousada e incrível da Gi? Eu me sinto muito privilegiada em tudo ter saído de forma tão perfeita. Me sinto privilegiada por ter sido a escolhida dela para fazer este ensaio (quanta confiança ela botou em mim!!!) e por ter atendido pelo menos um pouco das suas expectativas.

Diferentemente dos trabalhos anteriores, eu fotografei este ensaio todo em jpeg e não usei nenhum filtro na edição das fotos. Este foi um trabalho que acho que consegui ser bem mais criativa que os anteriores, melhorei muito a minha direção da modelo (a Gi) e a interação da modelo com o lugar escolhido para as fotos (que é uma das coisas que eu mais gosto nos meus ensaios, nunca planejo poses, sempre acontece tudo na hora, na maneira como nós interagimos com o lugar).

O ensaio fluiu lindamente, com o auxílio maravilhoso da maquiadora e stylist Patrícia Leme, que está sempre comigo. Aqui algumas amostras deste que foi sem dúvidas o nosso melhor trabalho até aqui.

FICHA TÉCNICA: 

  • Maquiagem, acessórios, estilo: Patrícia Leme (Instagram: @patricialemeoficial)
  • Fotos, edição, direção e vídeo: Melissa Sliominas (Instagram: @melsliominas)

Agradecimentos:

  • Oficinal Cultural Oswald de Andrade (Sr. Valdir, muito obrigada! ♥)
  • Marlene, por ajudar a Gi e por se oferecer por me acudir com a sua maquininha de cartão, apesar de eu não ter precisado no final das contas! ♥
  • Melinda, da São Paulo Companhia de Dança, por ter ficado com nossas malas. ♥

 

Anterior Posterior

Deixe o seu recado!

voltar ao topo