Fico várias e várias semanas sem vê-lo e quando o vejo novamente vem – involuntariamente – todo aquele turbilhão de sensações e uma vontade enoooooooooooooorme de ficar com ele… é diferente, desta vez. É meio incontrolável (só que como PRECISA ser controlável, tem sido bem difícil), é forte… às vezes eu acho que ele também está sentindo a mesma coisa (por pura obra do destino, do acaso, nenhum de nós dois provocou isso, só conversamos e trocamos olhares), às vezes acho que tudo isso é uma criação da minha cabeça. Seja como for, não é uma história possível. Não posso avançar, não posso ser espontânea, não dá.

Ele tem um relacionamento. E ele não fez nada. Mas estamos sempre esbarrando os nossos olhares.

Uma amiga me disse: se você está com vontade e tiver oportunidade, vai e faz. Eu respondi que não tenho mais idade para fazer loucuras e preciso pensar nos outros. Odiaria que fizessem isso comigo. Eu tenho que pensar nos outros eu tenho que pensar nos outros eu tenho que pensar nos outros…

…fico repetindo isso internamente enquanto tento domar a atração fudida que eu sinto e todo o tamanho da desconcentração que toma conta, quando ele está perto – até para não atrapalhar o moço de alguma forma (o olhar de uma mulher ao invés de sedutor, pode ser ameaçador, às vezes, sem que a gente se dê conta rs).

E tudo isso não é só porque ele é lindo (pra mim), porque é uma delícia, porque é incrível. É o jeito dele… o jeitinho discreto e sutil de olhar, de prestar atenção, o jeito seguro, a inteligência… como ele é querido, atencioso, prestativo. Ah, eu estou tão triste… tão!!!! Tão díficil eu me sentir realmente atraída por um homem COM ESTA INTENSIDADE e quando acontece, é obra do IMPOSSÍVEL.

Você precisa me dar uma trégua, universo.

Anterior Posterior

Deixe o seu recado!

voltar ao topo